Skip to content

Moda e Comunicação

22/11/2010

Na última quinta, 18 de novembro, o Mundo de Nãna foi convidado para cobrir o evento “Moda e Comunicação” realizado pela Tanara Brasil em parceria com a Oi FM e a MTV. Foi com muito prazer que a nossa Relações Públicas, Ayala Melgaço, compareceu ao evento em nome da Nãna Encantada.  É por isso que eu passo a palavra para ela, que pode nos contar com mais detalhes o sucesso da palestra cujo tema era “Moda e Auto-imagem”.

_______________________

Oi pessoal,

Primeiramente, não posso deixar de parabenizar a Tanara, OI FM  e MTV pela organização de um projeto como esse, que leva uma série de  palestras interessantes e atuais a várias cidades no país.

No caso de Belo Horizonte, a palestra foi mediada majestosamente pela jornalista/atriz Cris Brandão e teve como convidadas a Patty Lago- Diretora Criativa do Bando de Loucas , Heloísa Hervé- Diretora de Planejamento Criativo da Job&Hervé e a  Flávia Aquino – Coordenadora do Curso de Desing de Moda da Estácio de Sá.

Além disso, estava presente no palco, a famosa blogueira Monica de Paula do Ameixa Japonesa .

Interatividade, Comunicação, Moda

Pode-se dizer que a palavra de ordem da palestra foi: interatividade. Termo bastante utilizado nos dias atuais e por que não dizer, banalizado. Mas, esse não foi o caso do evento. Ali discutiu-se o tema de forma clara, inteligente e pela ótica de duas vertentes principais: a interatividade do consumidor em geral com a moda e a interatividade entre moda e comunicação. Sobretudo, como a interatividade mudou a forma de fazer moda.

Segundo Heloísa, “Moda é comunicação. Moda é um discurso que a gente passa através do estilo. Moda e comunicação são formas de expressão”. No momento dessa fala, me toquei de que eu nunca havia pensado no assunto de forma tão simples e real. Sim, moda é comunicação. Aliás, comunicação está na moda e o próprio mundo fashion também está na moda, como a própria Patty afirmou durante o evento.

Seguindo essa linha de apontar os elementos que estão na moda hoje em dia, Patty lembrou que o nosso país também está na moda e argumentou com o fato de que temos vários estilistas reconhecidos internacionalmente, além de afirmar que somos um dos povos mais criativos do planeta. Ela também relatou um dado interessante de que, hoje, o Brasil é o maior exportador de biquínis do mundo.

Diante dessas afirmações, pode-se ter uma ideia de como a conversa foi, de fato, produtiva.

Moda e Marketing interligados?

Pelo menos, é o que deveriam ser, segundo as palestrantes. Patty Lago lançou a questão para a plateia “O marketing te ajuda a entender as pessoas e para fazer moda, você deve saber como chegar até essas pessoas”. Ou seja, aí está o grande elo entre moda e marketing ou, de forma mais ampla, o uso da comunicação em função da moda. Isso é facilmente entendido quando se entende que moda é um negócio assim como qualquer outro, apesar de todo o glamour que envolve o setor.

Sendo a moda um negócio, ela segue aquelas mesmas regrinhas que os comunicadores já sabem de cor: não se vende um produto, se vende um conceito. Segundo Helô, “Vende-se uma solução de moda dentro da personalidade do consumidor”. É por isso que se deve criar a identidade da marca com muito cuidado e ter sempre em mente a quem ela se destina. E o mais importante, seguir firme no que foi planejado. Heloísa argumenta que as marcas que escolheram o caminho das vendas a qualquer custo, fracassaram. Mas, aquelas que optaram por escolher um estilo e o defenderem, perseveraram.

As polêmicas das passarelas

Outro tema bastante discutido foi a questão da imposição de modelos extremamente magras para desfilar. Várias pessoas da plateia questionaram que a moda deveria estar mais antenada com a modelagem real das pessoas. Patty Lago argumentou que não se trata de colocar modelos magras no sentido de dizer à sociedade que essa é a boa aparência, mas de utilizar os corpinhos magricelos porque todas as roupas caem bem nessa modelagem. Na verdade, seria só uma forma de mostrar a roupa com uma melhor estética. As modelos são apenas cabides, o que se vende é a roupa.

Outra questão é de que o exagero nas roupas é necessário porque o desfile é um show, é necessário chamar atenção do público.

E a tal da sustentabilidade?

A tão falada sustentabilidade também entrou no debate, confecção de roupas com matéria-prima ecologicamente correta, uso de produtos reciclados, etc. O que deu para perceber é que muitos estilistas já estão preocupados com isso. Acontece que o grande problema apontado pelas palestrantes é que os consumidores cobram muito essa postura politicamente correta da moda, mas no dia a dia não agem de acordo com aquilo que defendem. Ou seja, o engajamento não deve partir apenas daqueles que trabalham no mundo fashion, mas também dos próprios clientes.

Fazer moda nos dias de hoje

Segundo Heloísa, estamos vivendo o milênio da autoestima, que se traduz primeiramente com a preocupação da moda seguida da atenção dada a questão da qualidade de vida.

Para a publicitária, a moda foi construída como um valor social, uma linguagem. Essa é uma das razões por vermos hoje em dia a popularização de grandes marcas. Ela ainda vai além e se arriscou a dizer que, em comparação com o passado, pode-se dizer que  a ditadura da moda acabou. Hoje, o que existe é a ditadura do comportamento e a moda, simplesmente, traduz esse comportamento em produto.

Vive-se a era das ruas para as passarelas. Segundo Helô, antigamente os estilistas iam até a Europa para buscar inspiração para suas coleções. Hoje, eles vão às ruas, querem ver o que as pessoas comuns estão usando.

A diretora de criação acredita que o grande desafio dos profissionais de moda atualmente é saber até onde suas obras devem ser puramente autorais porque deve-se levar em conta se há público para o tipo de roupa para a qual ele se propõe a produzir.

Resumindo

A grande cartada da noite não veio das palestrantes, veio de uma estudante de design da Faculdade Estácio de Sá que estava presente no auditório e quis se pronunciar acerca da preocupação de que a moda dita como as pessoas devem ser ou o que devem usar. “A moda não está na passarela. A moda está no que a gente usa”.

Preciso falar mais alguma coisa? =)



Fotos do evento aqui. E se você quer conferir alguns vídeos dessas discussões gravados nesse evento, dê uma passadinha no blog Veneno Picante.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 22/11/2010 11:59

    Obrigada pela indicação querida!
    beijos

Trackbacks

  1. Como é a moda que está na moda? « Nãna Encantada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: